Ramón Valdéz

O saudoso Ramón Valdez nasceu no ano de 1923, na Cidade do Méixico. Com 2 anos de vida, foi morar com seu pai na pequena cidade de Juarez, no México.

Teve três esposas, uma delas era a cantora Aracely Julian, e aproximadamente 10 filhos.

As filhas Aracely, Gabriela, Carmen e Aracely Valdéz, contaram a um site mexicano como o pai era por trás das câmeras: um doce de pessoa. Sempre se vestiu de forma bem simples, igual ao Seu Madruga, e só usou smoking no casamento delas.

Antes de trabalhar com Roberto Gómez Bolaños “Chespirito”, atuou em vários filmes junto com seus irmãos Manuel Valdés “El loco” e Gérman Valdés “El Tin Tan”. Logo se vê que a veia artística era de família.

Ramón foi um veterano no cinema, trabalhou em quase 50 filmes, nos quais destacam-se “Calabacitas tiernas” (1948), “El rey del barrio” (1949), “Soy Charro de Levita” (1949), “La marca del Zorrillo” (1950), “Fuerte, audaz y valiente” (1960) e “El capitán Mantarraya” (1969). Também trabalhou em novelas como “Lupita” (exibida no Brasil pelo SBT em 1985).

Conheceu Roberto Gómez Bolaños em um filme, onde eles trabalharam juntos.

Se fez mundialmente famoso trabalhando na série “El Chavo del Ocho” (nome original da série Chaves), onde interpretava o personagem Don Ramón (nome original do personagem Seu Madruga), com todo aquele seu carisma incomparável.

Ainda antes de participar do seriado Chaves, Ramón trabalhou em outras séries de Chespirito – sempre com atuações marcantes. Em “Los Supergenios de la Mesa Cuadrada”, outra série criada por Chespirito, Ramón interpretou o personagem Don Juan Ramon Valdez.

Também teve participações marcantes no seriado Chapolin Colorado, onde interpretava, na maioria das vezes, os vilões da história. Alguns deles inesquecíveis, como é o caso dos personagens Tripa Seca, Racha Cuca e Pirata Alma Negra.

No ano de 1979, Ramón Valdez deixa o seriado Chaves para trabalhar com Carlos Villagrán, Quico, em um programa na Venezuela, que se chamou “Frederrico”. O programas não teve grande êxito e, em 1981, ele volta a integrar o grupo de atores da série Chaves e, posteriormente, o programa “Chespirito”.

Em 9 de agosto de 1988, Ramón Gómez Valdez y Castillo veio a falecer, deixando aproximadamente dez filhos e milhões de fãs ao redor do mundo. A morte de Valdez se deve ao fumo em excesso, que ocasionou um câncer no pulmão, que se espalhou para o estômago, e veio a levar o inigualável Ramón Valdez a morte. Com certeza todos do elenco sentiram muito a perda do companheiro, mas talvez quem mais sofreu foi Angelines Fernández, a Dona Clotilde. No enterro, ela permaneceu cerca de duas horas de pé, junto ao caixão do saudoso Ramón. Os dois eram muito amigos. Em todo o velório, ela repetia aos prantos: “Mi rorro, mi rorro…”.

Nos últimos anos de sua carreira, Valdez dedicou-se a viajar com seu circo por toda a República Mexicana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *